Alimentação natural para cães: uma escolha nada fácil

janeiro 28
No comments yet

“Escolhi a alimentação natural (AN) para poder oferecer uma dieta mais balanceada, com alimentos mais naturais, e que pudesse ser adaptada as necessidades dos meus cães. Mas, não foi uma decisão fácil!”

Como já comentei em outros posts que a Mabel e o Billy têm displasia e mais uma das complicações dessa condição foi a falta de apetite da Mabel. No meio de todo o processo de descoberta, medicamentos e procedimentos cirúrgicos, a Mabel parou de comer. Diferentemente dos goldens que conhecíamos, a Mabel não comia…chegou a ficar 48h sem comer e paramos com ela na emergência com uma crise de hipoglicemia. Não chegava nem perto da ração, enrolava e só comia (com muito custo) se colocássemos algo junto, como frango desfiado por exemplo. Claro que essa falta de apetite estava relacionada as dores e ao excesso de medicação, e não só pelo “apetite caprichoso”.

 Como alternativa para o tormento das horas de comer e para apoiar no tratamento da displasia, comecei a pesquisar sobre alimentação para cães com essa condição articular. E a medida que fui pesquisando vi que a AN poderia ser uma boa opção para a Mabel, tanto pela questão do apetite quanto pela possibilidade de poder adaptar a dieta às necessidades dela – evitando alimentos antiinflamatórios, consumindo mais vitaminas e protetores articulares. Segundo a Drª Sylvia Angélico, do site Cachorro Verde:

“A dieta natural é rica em ômega-3 e antioxidantes advindos de vegetais variados, ovos, peixes e óleos; além de poder oferecer diariamente protetores articulares naturais, como a condroitina presente na cartilagem de pés, pescoços, asas e carcaças de frango crus.”(post de 18 de maio de 2009)

A partir dessa decisão comecei a procurar profissionais que tivessem essa especialidade, o que não foi nada fácil em minha cidade. Ainda existem poucos profissionais que trabalham com AN. O bom é que essa realidade está mudando e começaram a surgir profissionais especializados e também empresas que já oferecem a AN pronta, em porções diárias e de acordo com a necessidade do cliente.

Foto: Cachorro Verde

Fizemos a primeira consulta em janeiro de 2017 com a Drª Sylvia Angélico. E já na primeira consulta optamos pela AN cozida, que se adequava mais a nossa rotina. Essa é uma escolha importante, porque alimentação natural dá trabalho e precisa ter disposição para começar. Existem basicamente três tipos:

  • Dieta cozida: os alimentos são cozidos e sem os ossos;
  • Dieta crua sem ossos: as carnes (sem ossos), vísceras e ovos são oferecidos crus, os carboidratos são sempre cozidos e os vegetais podem ser servidos crus ou cozidos; e
  • Dieta crua com ossos: nessa dieta o objetivo é simular a composição de uma presa, ossos, carnes e vísceras cruas.
Cada uma dessas dietas tem um nível de dificuldade e de benefício. É importante escolher a que melhor se adequa ao seu estilo de vida, no meu caso foi a AN cozida.
A Mabel tem uma porção diária de 1,1 kilo de alimentação natural, divido em duas refeições. A determinação da quantidade de AN depende do peso, da idade e da condição do cão. A composição da dieta da Mabel é:
  • 35% carnes (385g de carnes cozidas por dia)
  • 5% vísceras (55g de vísceras cozidas por dia)
  • 5% ovo de galinha (1 ovo cozido por dia)
  • 20% vegetais (220g de vegetais cozidos por dia)
  • 35% carboidratos (385g de carboidratos cozidos por dia)
O mais difícil no início foi estabelecer a rotina, se faria diariamente ou semanalmente e congelaria as porções. No nosso caso, como temos uma pessoa que nos ajuda, optamos por fazer a alimentação diariamente. E claro, outro ponto era organizar as proporções de cada item da dieta. Mas com o tempo vimos que preparar a dieta não era nada tão complicado. Algumas dificuldades que encontramos com a AN: necessidade de organização e disciplina, disponibilidade de espaço no congelador ou freezer e a quantidade de comida já que a Mabel é um cão de grande porte. Além dessas questões do dia a dia, enfrentamos dificuldade em viagens, em deixar em hotéis e creches, em sair para passear…a Mabel sempre tem que carregar a sua marmita (rs).
Uma outra dúvida que surgiu logo no início era o custo de fazermos a alimentação natural, se era mais barata do que a ração. Percebemos que não há muita diferença de valor entre optar por uma dieta ou outra.
A decisão estará mais relacionada com a vontade de ter uma dieta mais balanceada e adaptada as necessidades do seu cão e com alimentos naturais.  No entanto, é preciso ter tempo e disposição para fazer a AN para o seu cão, do contrário nem comece. Dieta natural não é fazer metade ração e metade comida ou enriquecer a ração com fruta ou proteína. É de fato trocar a ração pela alimentação natural.
Faz um ano que a Mabel faz uso da AN cozida e tenho gostado muito dos resultados. Fizemos exames recentemente e Mabel está ótima! Toda a alimentação da Mabel é acompanhada e temos um plano alimentar específico pra ela, também fazemos exames regulares de 6 em 6 meses para acompanhar o andamento da saúde. Isso é muito importante ao optar pela AN!
Se quiser saber mais sobre AN, vou colocar algumas referências de sites e textos:
Referências:
(1) Site Cachorro Verde – http://www.cachorroverde.com.br/

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *