Colite em cães – o que é e o que fazer?

dezembro 6
9 Comments

A colite  é um problema mais comum do que a gente imagina e os sintomas podem ser facilmente confundidos com qualquer outro problema de saúde. Por isso, precisamos ficar atentos aos sinais que nossos cães apresentam.

A colite em cães é a inflamação do cólon, que é a porção média do intestino grosso que vai do ceco ao reto.  O cólon está situado acima do intestino delgado do cão e tem três funções básicas: absorção de água, armazenamento da matéria de resíduos ou das fezes e digestão dos nutrientes não absorvidos. O cólon tem uma maior densidade bacteriana em comparação com o intestino delgado. A colite aguda é quando o animal adoece repentinamente, apresentando vômitos, diarreia e falta de apetite. É mais comum do que a gente imagina e os sintomas podem ser facilmente confundidos com qualquer outro problema de saúde, por isso precisamos ficar atentos aos sinais que nossos cães apresentam:

  • diarreia com fezes líquidas e acompanhada de muco e/ou sangue (por vezes);
  • dores no estômago, gases e impulso de aliviar-se com frequência;
  • crises de vômitos;
  • perda de apetite;
  • tentativas de se alimentar de grama, de modo a ajudar a si mesmo na digestão do alimento.

O caso do meu Thor é bem específico: ele foi resgatado da rua no dia em que nasceu e, por isso, não mamou. A falta do leite materno teve consequências que só percebemos recentemente, quando ele completou 3 anos de vida: ele não desenvolveu enzimas digestivas suficientes, e então começou a rejeitar a ração – quando ela fermentava no estômago, ele vomitava. O quadro se agravou e ele começou a comer porcarias no quintal de casa (grama, terra, pedras, folhas etc), provavelmente para tentar amenizar a dor que ele sentia no estômago, e também parar a vontade constante de vomitar. Claro que isso só piorou a situação.

Esse é o Thor! 🙂

Levei ao veterinário, fizemos ultrassom e constatamos, a princípio, uma gastrite aguda. O tratamento foi medicamentoso e alimentício. Tivemos que cortar de vez a ração e passar para Alimentação Natural (AN) cozida. Como o Thor não podia comer nada que fermentasse no estômago, a AN foi bem específica, sem nenhum tipo de tubérculo e com menor quantidade de proteína. Ele se adaptou muito bem ao novo cardápio e, nas primeiras semanas, ele comia com cara de “o que eu fiz pra merecer um papá tão gostoso?”, tamanha a felicidade dele! E sim, ele melhorou! Parou de vomitar, porém continuava comendo muita grama. Não adiantava repreender nem deixar ele dentro de casa, pois na primeira oportunidade, em questão de minutos, ele comia e eu não percebia (impossível vigiar um cão 24h por dia, né?).

Como consequência, o quadro evoluiu para colite aguda. Começou com muita diarreia e alguns casos de vômito. Observei e tratei com remédios, mas não adiantou, ele não melhorava. Levei novamente ao veterinário e ele ficou internado para um jejum de 48 horas, a fim de “limpar” o organismo, o estômago e o intestino (tipo um detox). Na segunda ultrassom, a colite foi diagnosticada. Fiquei arrasada, pois a doença tem controle mas não tem cura.

Não tive nem tempo de “digerir” todas as informações, pois o tratamento começou de imediato: ajustamos a dieta dele, adaptando a AN para o tratamento e controle da colite, além de muitos medicamentos – alguns temporários, como antibióticos, e outros por tempo indeterminado, como ômega 3, probiótico (uso kefir de água), enzimas digestivas, nutracêutico e remédio natural para o estômago (tudo sob orientação de veterinários especializados).

Ainda estamos no meio do tratamento, mas o Thor já melhorou significativamente. Os vômitos e diarreias acabaram e ele também parou de comer grama e porcarias no quintal. Sei que a luta continua e agora estou mais atenta a qualquer mudança de comportamento e sintomas, tanto nele quanto nos meus outros 5 cães. Agradeço aos veterinários Márcio Becacici, de Vitória/ES, e Sylvia Angélico, de São Paulo, que estão acompanhado o Thor nessa jornada.

  1. Tiago

    fevereiro 25

    Há 8 meses resgatei das ruas o Iron, que por sinal é muito parecido fisicamente com o Thor. Desde que chegou em casa lutamos contra a colite. Já trocamos a ração diversas vezes, fez vários tratamentos com antibióticos, vermifugos e nada resolveu… Ele ainda apresenta diarréia e episódios de vômito. Como muita grama e as vezes rejeita a ração. A única coisa que o fez melhorar foi o uso da homeopatia. Percebo que o caso não terá cura, talvez controle. Tenho interesse em saber um pouco sobre a Alimentação Natural que dá para o Thor.se puder me , lhe serei grato. Obrigado

    • Ei Tiago, tudo bem? Vou passar o seu e-mail pra Andrea, a fim de que ela compartilhe com você o que tem feito, tá bom? Melhoras pro Iron!

  2. Cleia

    março 23

    A minha Cindy TB foi resgatada com uns 7 meses no máximo… Já passei por TD isso… Ração… Crises… Diagnóstico q TDS insistiam ser giardia… Mas ao final eu acabei descobrindo q o q desencadeava e BN prolongava as crises era o nervoso… sei lá o q ela passou em sua vidinha… A primeira grande crise foi qdo tentei usar guia fixa… Ela tem pavor de ser puxada ou sentir q está limitada… Uso guias retrátis… Mas até descobrir o que era… Pensei q fosse perdê-la… Enfim… Descobri por mim… Ela TB não pode comer nada q tenha farinha branca… Grãos… Então soh rola ração grain Free…. Biofresh ou N&D… Alimentos naturais sei q Franco ela TB não se dá bem… E como ela fica estável na ração melhor num mexer… Dessa vez de novo uma crise grande… Probiotico… Antibiótico… Achei q a ração de cordeiro TB Naum deu mto certo… Oh meu Deus! Em uma dose de antibiótico ela já ficou 50% melhor as dores e gases abdominais passaram… Mas como fazer pra evitar esse sofrimento todo???

  3. Rafa Melo

    março 28

    Olá…
    Gostaria de maiores informaçoes sobre a A.N. do Thor.
    Poderia me mandar por e-mail, por gentileza?
    raflesiap@gmail.com

    Atenciosamente,
    Rafa

  4. Jéssica Prates

    abril 30

    Oi boa tarde, entre muitas matérias lidas por mim até o momento encontrei essa aqui. Meu cachorro Chokito também foi resgatado das ruas, adotei ele tinha por volta de dois anos e meio. Tempo atrás teve o diagnóstico de colite tratou com antibiótico e melhorou. Porém volta e meia tem algumas crises acho que é relacionada a stress. Tem gases, dores abdominais vomitos e diarréia, mas não deixa de comer, aceita muito bem ração e de vez em quando faço uma comidinha com arroz algum legume e frango. Mas no geral trato a diarréia com carvão ativado pet e também ele come grama e já melhora graças a Deus. Ainda não sei muito sobre a doença mas tento me informar o máximo para poder ajudar ele. Essa semana ele tem uma revisão com a vet. Podem passar alguma dica de deita ? Obrigada desde já.

  5. Irene

    agosto 14

    Passo pelo mesmo problema com minha pincher dudinha….Ela evacuar sangue nas fezes…come mito capim …e dores abdominais …Adotei ela faz um ano e meio ja fui em 6 veterinários e vários ultrassons e uma colonoscopia exame exato p esse tipo de doença…Estava dando budisona ela pesa 2.600 kilos . as crises somem completamente só se parar voltam… mas o veterinário diz o único que não faz tanto mal e atua só no intestino e não em outros órgãos e com o tempo vai tentando dar um dia sim outro não ..O único problema retem liquido e faz mais xixi…Se der sempre essa medicação fica boa… mas se parar volta em dois dois dias…Aí agora o veterinário e a médica fez colonoscopia sugeriu ciclosporina remédio imunopressor que antibiótico que vai tratar e começa a se tomar por um mêstodos os dias… feito a dosagem pelo peso e depois de um mês um dia sim um dia nao passado dois meses vais passar p cada 3 dias toma e assim vai…Por enquanto estou dando batata doce …batata inglesa…frango cozido na água…tudo triturado e vou na nutricionista p ter mais opções..Estou esperançosa…

  6. Rosane Magalhães Coscarelli

    julho 8

    Minha cadelinha tem 14 anos e por tudo que li ela tem um quadro de colite. Como posso ajudar além do probiótico.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *