Meu Cão é Ciumento. E Agora?

dezembro 18
No comments yet

É raro a gente achar um cãozinho que não seja ciumento. Mais discreto, ou extremamente dramático, não importa: é muito importante saber identificar os sinais do ciúme e mais importante ainda: saber como lidar com ele.

“Se você me diz que vai sair sozinha
Eu não deixo você ir
Entenda que no meu coração
Tem amor demais, meu bem e essa é a razão

Do meu ciúme
Ciúme de você
Ciúme de você” (Raça Negra)

Aqui em casa, posso dizer que o Oliver não é do tipo ciumento voraz. Ele gosta de atenção. E se estamos dando atenção pra outro, ele quer também. Quando o Joca chegou, ele apresentou uns episódios de ciúme: mijou umas duas vezes em cima do sofá (nunca tinha feito isso!), começou a tentar morder o Joca (ainda que de leve) quando chamava-os para passear. Tudo isso passou, ainda bem!

Já do Joca, não posso dizer o mesmo. Ele é bemmmm ciumento de mim. Já até atacou o Léo (meu marido). E o ciúme do Joca se demonstra das seguintes maneiras:
Possessividade: se ele sobe na cama, pega um brinquedo, está comendo, algo assim, se o Oliver chega perto, ele rosna. Esses dias ele subiu na cama e deitou perto de mim. Meu marido se aproximou para fazer carinho, ele se sentiu ameaçado, como se ele fosse tirá-lo dali, e avançou nele.
Não quero dividir: em geral, quando alguns cães começam a brincar com o Oliver, o Joca rosna pra eles e monta neles. Até acostumar, isso se repete algumas vezes.

Em todos esses casos, sempre corrijo. Sempre digo não, sempre manifesto que não gosto da atitude dele. No segundo caso, o Joca já melhorou bastante. Ele rosna e tenta dominar apenas o cão que está dominando o Oliver, acho que no intuito de proteger. Já quanto à possessividade, ele ainda precisa melhorar. No dia que ele avançou no meu esposo, por exemplo, imediatamente eu disse “não” com firmeza, peguei ele, tirei da minha cama e coloquei na caminha dele. Demonstrei que estava chateada e dei um “gelo” nele por um bom tempo. Tenho feito isso sempre que ele faz o mesmo com Oliver: levanto e saio de perto, ignoro por completo, sempre após dizer “não”.

Algumas dessas coisas eu aprendi no livro “Adestramento Inteligente”, do Alexandre Rossi, que me ajudou muito também na fase de filhote do Oliver. Ele não é o cão mais educado (não mesmo, ahaha), mas algumas coisas consegui evitar, como por exemplo, a destruição dos meus móveis e fazer xixi e cocô pela casa (Oliver sempre fez no tapete higiênico, desde bem novinho).

Interessante é que eu estava lendo sobre isso hoje na Revista Meu Pet, Número 39, páginas 26 a 31. Encontrei relatos de alguns casos bem semelhantes aos do Joca. Descobri que a manifestação do ciúme pode se dar de várias formas, inclusive: olhar fixo, rigidez corporal, rosnar, mostrar os dentes, ou mesmo a agressão.

Tumblr

Um dos grandes segredos para combater o ciúme é não deixar que ele se torne um hábito (ruim). Não estimule, não deixe passar em branco. Precisamos corrigir nossos animais e a reportagem da revista ensina umas coisas bem legais:

1) Quando o cão demonstra ciúme: o certo é ignorá-lo até ele parar de demonstrar ciúme. Interagir com ele, ou mesmo oferecer carinho é uma forma de recompensa pra ele.
2) Quando tiver visita em casa: não prenda o cão ou o isole. Faça interações entre a visita e o pet para que ele acostume com aquela presença na casa.
3) Ciúme de outro animal: não pegue ele no colo ou acaricie. Diga não com firmeza, mas sem encostar nele.
4) Ciúme do brinquedo/coisa: troque por petisco. Não tente arrancar o item da boca do animal. Neste ponto temos que ter um pouco de cautela, para que a troca por petisco não o incentive a tornar a pegar o brinquedo e prendê-lo, ou mesmo quando a coisa na posse do animal for algo que você não queira mais que ele pegue: meias, etc.

Educar um cão não é difícil. Apenas demanda paciência, persistência e muito amor. O resultado sempre será recompensador.

Bom dia, gente!! Grande abraço! 🙂

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *